O PODER DA LEITURA: SEJA UM INCENTIVADOR DE HISTÓRIAS

por

Que nós da REVISTA NOVA FOLHA somos apaixonados por histórias inspiradoras, todo mundo já sabe, mas como não amar? Ainda mais quando o assunto é leitura, livros... É contagiante! Por isso, nós vamos começar a instigar você a LER mais. Para iniciar os “trabalhos” convidamos FLÁVIA BENDINI, 17 anos, estudante de letras, apaixonada por livros e proprietária do Instagram: “Caixa de históriass” para nos dar algumas dicas de livros. A cada 15 dias ela fará indicações, então, se você quiser sugerir algum segmento, entre em contato com a gente e BOA LEITURA!

Os livros vêm se reinventando a cada ano. Além da linguagem culta, com expressões “difíceis”, temos também uma linguagem mais moderna, coloquial, facilitando a compreensão daqueles que não têm muito o hábito da leitura. Os famosos best sellers vem sendo o alvo do público jovem. Embarque com a gente nesse “mundo novo”. Vamos fazer uma rede de leitura! Conheça agora 5 livros para você se apaixonar instantaneamente:

1: A Seleção - Kiera Cass

Logo de início você pode achar que será mais um “clichê literário”, onde a mocinha plebeia se tornará uma princesa da noite para o dia, no entanto, ele é mais surpreendente do que imaginamos. A história não é como os típicos contos de fadas. As moças de um país chamado de Illéa - que é dividido em castas - são escolhidas para participarem de uma seleção onde o príncipe e futuro rei escolhe uma linda princesa. Porém, a nossa protagonista América Singer, não será uma candidata tão fácil, lutando com as desigualdades que a rodeia, ela terá desafios e fará inimigos poderosos. É uma história apaixonante,  daquelas que quanto mais você lê, mais quer saber o final. E para nossa felicidade a saga é dividida em três livros.

2: O Extraordinário – R.J. Palacio

Essa história é uma das mais inspiradoras que já li. Sendo sinônimo de superação, este livro nos faz chorar! Ele nos mostra que é possível vencer qualquer obstáculo. A história conta a vida de um menino chamado August, de 10 anos, ele nasceu com uma deformação facial que o impossibilita de viver como uma criança comum, ir à escola, brincar no parque, expor-se na sociedade. Quando ele chega a uma certa idade e precisa de uma educação melhor, seus pais decidem colocá-lo em um colégio regular, e lá além de aprender, ele terá que superar muita coisa, como bullying e comentários cruéis sobre a sua aparência, mas ele vai ter a chance de mostrar que apesar da peculiaridade é uma criança normal como todas as outras.

3: A Rainha Vermelha – Victoria Aveyard

Uma sociedade dividida pelo sangue. De um lado, os poderosos prateados, de outro, os pobres de sangue vermelho. A história se inicia com uma moça de sangue vermelho Mare Barrow que cai numa cilada e vai parar no castelo - cheio de prateados. Ela descobre que, mesmo sendo vermelha, possui poderes e assim começa a intimidar os grandiosos. Numa luta contínua de sangues,  Mare busca lutar pelos do sangue vermelho. O livro lembra bastante o livro “A seleção”, porém com um enredo diferenciado. A saga ainda tem mais quatro livros.

4: Caixa de Pássaros – Josh Malerman

Este é um daqueles livros que você lê e chega a perder o fôlego! A gente entra com uma sensação de incerteza, de não conseguir decifrar o que acontece ao redor dos personagens, mas aos poucos isso vai se desfazendo. Com uma narrativa intercalada entre passado e presente, é contada a história de Malorie, uma moça que descobre estar grávida no ano em que o mundo entra em desordem. Criaturas misteriosas que, com apenas um olhar, te levam a loucura. Circulando pelas ruas, Malorie procura ajuda e acaba encontrando uma casa com um grupo de pessoas que se ajudam. Cinco anos se passam e na casa só ficam ela e seus dois filhos. Agora ela precisa procurar ajuda e um lugar seguro. Começa então a caminhada deMalorie e seus filhos. Com apenas um barco e os olhos vendados ela depende apenas dos sentidos das crianças. É incrível!

5: Como eu era antes de você – JoJo Moyes

Por mais conhecida que a história já seja, eu digo: Vale muito a pena ler o livro! Louisa Clark, uma moça simples e alegre, começa a trabalhar na casa de Will Traynor, um milionário angustiado, que após sofrer um acidente e ficar tetraplégico, necessita de cuidados constantes. É aí que nasce uma história linda! O amor entre Louisa e Wil é cativante e divertido mas, no entanto, Will já havia feito uma escolha. Escolha esta que fará com que todos fiquem emocionados. Sério! Preparem os corações.

Espero que você tenha gostado das dicas! Se você quiser sugerir algum livro, entre em contato com a Flávia pelo Instagram: CAIXA DE HISTORIASS

ou aqui no site da REVISTA NOVA FOLHA

Agora vamos conhecer o projeto de estudo de outra apaixonada por leitura, TAIZE MYKELLE, formada em Letras pela UNESPAR – Paranavaí. Ainda na faculdade ela deu início a um estudo muito legal: MÃES QUE CONTAM HISTÓRIAS – UMA PRÁTICA PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES. Quer saber do que se trata? Acompanhe:

Foto: reprodução

REVISTA NOVA FOLHA: Conta pra gente um pouco sobre o projeto e o motivo de estudar sobre leitura:

 

TAIZE: Sempre gostei de ler, desde pequena fico encantada com os livros, é fascinante poder conhecer o mundo em minutos. Mas sabemos que, infelizmente, muita gente não lê e não há muito incentivo e por isso quero fazer e trazer algo para que possamos ajudar nisso. Sou mãe e estou constantemente impulsionando meu filho pra esse mundo dos livros. E quando pesquisei sobre esse projeto, mulheres contando histórias para seus bebês - ainda na barriga, ah, foi apaixonante, senti que era exatamente o incentivo que faltava.

"O estudo que iniciei tem como objetivo apontar os benefícios da arte de ler e contar histórias para bebês ainda na barriga da mãe. É uma forma de motivar, para atrair cada vez mais os ouvintes que serão os novos leitores. Mas é importante lembrar que esse “costume” deve ter continuidade após o nascimento da criança, para que futuramente o gosto pela leitura seja incorporada em cada um".

REVISTA NOVA FOLHA: Como a mãe pode ser uma influenciadora da leitura?

TAIZE: "O ventre é o local onde o bebê tem os primeiros contatos com a mãe, é ali que nasce o elo afetivo entre eles. Desde muito cedo o bebê passa a conhecer a mãe, através de sua voz, seus sentimentos, suas reações, é o momento ideal para criar um laço de amor entre o bebê e a sua genitora. Há uma espécie de memória sensitiva que ajuda o bebê a resgatar o que viveu na vida intrauterina e após o nascimento essa memória torna-se uma etapa de linguagem não-verbal."

Filho da TAIZE, Kauã - 8 anos - Leitor dedicado

Sobre a pesquisa:

"É muito triste observamos que pouco se investe no ramo de livros para bebês e crianças, já que é fato a necessidade de incentivar nossos filhos e crianças, para a leitura, para que se tornem cidadãos pensantes. Mães que contam histórias para seus filhos contribuem para a formação de um cidadão crítico. Cada historinha de bruxas e fadas faz a criança pensar e repensar nos seus atos. As fábulas trazem uma moral incrível e mostram aos pequenos que toda ação gera uma consequência. A autora Ninfa Parreiras, em seu livro “Do Ventre ao Colo, Do Som à Literatura” (2012) ressalta que, são divulgados para as pessoas comércio, brinquedos, produtos de higiene para bebês, há lojas especializadas em vestimentas, alimentos, brinquedos, calçados, móveis, objetos de decoração. E loja de livros para bebês? Bibliotecas para os pequenos? Há espaço para que esses bebês possam ter contato com livros? E a resposta é a mais temida: NÃO! Não existe nada voltado para esse público!"

REVISTA NOVA FOLHA: E a relação entre estímulo e leitura?

TAIZE: "Alguns estudos comprovam que bebês que são estimulados por falas e cantigas têm uma linguagem mais rica, eles imitam sons, repetem, respondem a estímulos variados. Por isso é tão importante essa interação: fala, histórias, situações que envolvam palavras e o som. Enquanto a mãe está com o filho no ventre, a preparação dela e do bebê pode ser feita por meio de histórias lidas, cantigas, poemas. Essas manifestações introduzem a criança no mundo das letras, da musicalidade e da literatura."

REVISTA NOVA FOLHA: E sobre as novas tecnologias, ajuda na leitura?

TAIZE: "Agora é tudo muito rápido, nós temos sempre ao nosso alcance um objeto que pode trazer informações, seja ele um computador, smartphone ou tablet... Mas muitas pessoas acabam se acomodando com notícias superficiais e se distanciam dos livros, da leitura e da literatura. Isso é triste – e preocupante."

REVISTA NOVA FOLHA: Pretende dar continuidade a esse estudo?

TAIZE: "Sim, quero levá-lo para o mestrado se possível. Realizar testes, colocar em prática! A maioria das mães acaba nem se dando conta da importância que a leitura tem na vida e formação da criança. Só vamos mudar a educação do país e do mundo quando nos dermos conta de que é em casa que se começa, realmente é “de berço”, ou melhor, de barriga mesmo."

Espero que vocês tenham aproveitado – assim como eu – as dicas e inspirações dessas entusiastas da leitura.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DICAS DE LIVROS por: FLÁVIA BENDINI, Estudante e leitora assídua.

Estudo MÃES QUE CONTAM HISTÓRIAS – UMA PRÁTICA PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES por: TAIZE MYKELLE, professora, mãe e incentivadora da leitura.

Fotos: Arquivo pessoal/ Pixabay/Pexels - Revisão: Jéssica Dantas – Redatora Revista Nova Folha - Texto por: Crislaine Lazarini – Editora-Chefe Revista Nova Folha

Compartilhe esse artigo