DIZER NÃO AOS FILHOS TAMBÉM É UM ATO DE AMOR

por

Por: Fabiano de J. Ferreira

“Eu gosto do senhor porque sabe dizer não pra mim, mas sei que faz isso porque quer o meu bem” (meu aluno, 12 anos)

Olá, estimado leitor, espero que você esteja bem fisicamente e emocionalmente nesses tempos de distanciamento social. Nós, brasileiros temos a infeliz cultura de descumprir a nossa própria palavra e/ou até mesmos as leis que nem precisariam "existir. Um exemplo disso é que deixamos tudo pra última hora, estamos sempre correndo e, não tão raras as vezes ainda chegamos atrasados.

Algo que aprendi desde muito antes de iniciar meu processo de formação acadêmica, - mas que já aplicava em minha vida pessoal- é sobre "manter minha palavra” e alinhar minha conduta àquilo que estava dizendo, isso é a melhor forma de receber o respeito das outras pessoas, seja criança ou adulto.

Resolvi começar o texto com uma frase escrita por um dos meus ex-alunos, pois está diretamente ligada ao tema que abordarei hoje: 'É preciso dizer não aos filhos”

Um certo dia solicitei para que todos alunos da minha turma (do sexto ano), crianças com 11 e 12 anos de idade, recortasse um pedaço de papel e de um lado escrevesse algo de bom sobre mim e do outro lado algo que eles não gostassem, mas tudo de forma anônima, a fim de deixá-los seguros para escrever. A resposta desse aluno não foi a única no mesmo sentido, vários disseram que gostavam por eu saber DIZER NÃO quando fosse necessário. Talvez porque eu sempre explicasse o motivo desse "NÃO".

Esse é o primeiro ponto importante: É preciso explicar o porquê você está negando algo ao seu filho.

Muitos pais e mães acham (erroneamente, segundo diversos estudos científicos) que as crianças não têm capacidade cognitiva de compreender os “comandos” proferidos pelos adultos, engana-se, pois eles conseguem. Mas muitas vezes decidem não obedecer por outras razões, como por exemplo, os pais e mães NÃO SEREM CAPAZES DE MANTER SUA PALAVRA, esse é o segundo ponto.

Quem de nós chega no horário combinado quando somos convidados para ir almoçar ou jantar na casa de um amigo ou parente?

Quem de nós se sente desconfortável ao chegar as 21h quando o horário do jantar era 20h?

Quem de nós não da lição aos filhos dizendo que não pode jogar lixo no chão, mas ao dirigir arremessa para fora um papel de bala?

Quem de nós não “briga” com os filhos dizendo que eles não podem ficar muito tempo usando o celular, quando a gente mesmo almoça e janta com o celular na mão? Aliás, as “Tecnologia é causa de discussão entre 80% dos casais” e estão criando crianças com “dependências de tecnologia” que trazem prejuízos a saúde, afirmam estudos.

Assim lembre-se: Seu filho aprende mais com as suas condutas do que com aquilo que sai da sua boca!

É preciso ter coerência e “manter a palavra”. Se disser que a criança irá se deitar as 21h30min, você terá que fazer que seu filho se deite nesse exato horário. Isso é fácil? Claro que não, mas ter filhos é uma escolha pessoal e traz consigo muito mais obrigações e deveres do que outras coisas, como criação de um rotina para seu filho, não adianta tentar se enganar, essa é a realidade de pobres e ricos, formar e desenvolver um ser humano é a tarefa mais complexa do mundo e não existe receita.

O terceiro e último ponto que gostaria de abordar é que nossas ações juntos as filhos dever ser “duras”, firmes e muitas vezes inflexíveis, principalmente enquanto estamos em processo de isenção de um novo hábito, como por exemplo, comer um determinado alimento ou dormir em determinada horário, nosso corpo demora alguns meses para aceitar e absolver um nova mudança, assim é preciso persistir.

 Imagino que você saiba disso, mas vou dizer mesmo assim: “dizer não ao filho também é um ato de amor.” Com certeza ao passar do tempo seu filho terá compreensão disso.

Em algum momento o filho irá entender “que você faz o que faz porque o ama muito e quer o bem dele", nesse momento você terá a alegria pura e verdadeira de se emocionar como eu me emocionei ao ler a mensagem.


Fabiano Ferreira - Escritor, palestrante, consultor educacional e professor

Contato: email: contato@fabianopalestras.com.br

imagens: pixabay

 

 

Compartilhe esse artigo