OBMEP 2018: NOVA LONDRINA NO PÓDIO

por

Aluno do Colégio Estadual Ary João Dresh de Nova Londrina conquista a primeira medalha na OBMEP para o colégio

A OBMEP (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS) é um projeto criado para estimular o estudo da Matemática entre alunos e professores de todo o país.

No dia 15 de agosto de 2018, na cidade de Cianorte aconteceu a Cerimônia de Premiação da OBMEP para os alunos que tiveram bom desempenho na prova realizada no ano de 2017. O aluno Tiago Filomeno Hemkemeier, do 7º ano do Colégio Estadual Ary João Dresch – EFMNP, recebeu premiação levando a medalha de bronze. 

 É a primeira medalha conquistada por um aluno no Colégio Ary João Dresh

Conversamos com o Diretor Djaci Leal sobre essa conquista:

"O colégio sempre oportuniza e incentiva a participação dos alunos na OBMEP. Divulga, inscreve os alunos e organiza para que possam fazer a prova. Além disso, apresentamos o site da olimpíada para que os alunos possam estudar e conhecer as provas dos anos anteriores"

O colégio conta com diversas conquistas de Menção Honrosa, mas essa é a primeira vez em que uma medalha é conquistada.

"Para o colégio e a educação de Nova Londrina é motivo de alegria e orgulho, pois demonstra o empenho de nossos alunos e professores em busca de uma educação de qualidade"

Para os pais - orgulhosos - de Tiago tudo é fruto de incentivo e muita força de vontade.

"A gente vê que ele se esforça pra ter o reconhecimento. Falamos sempre pra ele dar o melhor, se esforçar e é o que ele tem feito até agora. Como pai eu fico muito orgulhoso mesmo, mas sei que não podemos amolecer, a gente ajuda sempre quando pode e todos os dias estamos o incentivando"- Nilson Elias - Pai do Tiago

Mas para Tiago (12 anos), o medalhista mesmo é o pai:
"A pessoa que mais entende de matemática é meu pai"
E nesse momento pude notar na face do pai a surpresa e emoção. Ele riu e já foi se explicando:
"Não não que isso, os outros sabem mais coisas, mais técnicas né, aqui a gente sabe fazer o do dia a dia, a gente vai aprendendo mesmo com a vida"
Alguém aí consegue imagina o tamanho do orgulho que a mãe está sentindo? Conversamos com a Neusa Maria que emocionada nos contou:
"Eu fiquei muito feliz e orgulhosa. Na verdade a gente sempre espera algo bom dele, é um filho muito abençoado, respeita a gente e se esforça em tudo que vai fazer. Nós reforçamos muito essa questão do estudo porque nós entendemos que sem estudo não se chega a lugar algum. Quando ele passou para a segunda fase a gente ajudou no preparo dele e quando veio o resultado nós muito felizes falamos: Viu só, quando há estudo e esforço o reconhecimento vem e as portas vão se abrindo aos poucos".
Tiago nos revelou que a mãe costumava incentivar a leitura mesmo ainda antes dele nascer. O que nos faz lembrar da matéria sobre leitura na gravidez
 "Sempre procurei incentivá-lo mesmo ainda na minha barriga"
"Eu sabia que ele já podia me entender, e procurei estimular a leitura desde muito pequeno. Lembro que ele sempre gostou de desenhar e ler, não era uma criança que se interessava muito por jogar bola ou andar de bicicleta, ah e aliás, ele só aprendeu a andar de bicicleta aos 9 anos! A brincadeira preferida dele era com coisas relacionadas a estudo mesmo. Ele nasceu com isso, creio que seja um dom de Deus mesmo". Diz Neusa.
Perguntamos para Tiago quais matérias que ele mais gosta no colégio e ele foi bem eclético: "Gosto de matemática, história, geografia, ciências... Na verdade me interesso por várias áreas ainda, mas tenho muito interesse pela áreas de exatas, acho que é uma coisa concreta, meu pai sempre fala que na matemática uma coisa é ou não é, acho isso fascinante."
Tiago disse que antes de passar para segunda fase da prova da OBMEP ele não fazia ideia que isso poderia lhe dar medalhas.
"Na verdade eu achei que era uma prova normal, como padrão mesmo pra saber o nível de educação. Não me preparei para a prova, mas quando me falaram que eu tinha passado para a próxima fase aí eu me dediquei porque queria muito conseguir uma boa colocação. Fiquei muito feliz com o resultado."
Para os medalhistas da olimpíada é disponibilizado um curso PIC -Programa de Iniciação Científica Jr. que é um programa que propicia ao aluno premiado a entrar em contato com questões no ramo da matemática, ampliando o seu conhecimento científico e preparando-o para um futuro desempenho profissional e acadêmico. Para saber mais clique aqui 
Nota:

Carolina Nunes Morimatsu (de uma rede privada de ensino na cidade) também levou medalha de bronze e nós da REVISTA NOVA FOLHA parabenizamos também a todos os envolvidos. É sempre bom poder contar histórias boas sobre nossos jovens.

Compartilhe esse artigo